SEMANA SANTA

As celebrações da Páscoa na Espanha, e principalmente na Andaluzia, são um verdadeiro espetáculo que atraem milhões de turistas todos os anos, dada sua unicidade e magnitude. Aqui se fala Semana Santa, pois há diversas procissões diárias que começam no Domingo de Ramos, finalizando no Domingo da Ressurreição (só não ocorrem no Sábado Santo). 

                   Hermandad de LA MISERICORDIA. VIRGEN DEL GRAN PODER, Málaga.


Estas são realmente impressionantes. As Cofradías, ou Hermandades, fundadas a partir do século XVI, são responsáveis por uma Virgem e um Cristo, levados em enormes andores cheios de velas e flores. Cada uma percorre um itinerário definido, principalmente nas ruas do centro histórico, com uma duração aproximada de 8 horas. Há umas 6 procissões por dia, simultâneas, e assim os assistentes movem-se continuamente para tentar ver todas. Cada Cofradía tem uma organização muito definida: possuem vestimenta característica, seus membros chamam-se nazarenos, e há os que levam os andores, os coordenadores, os que levam incenso (deixando as ruas com perfume de alecrim) e velas, há mulheres com peinetas e todas de negro, há muitas crianças, etc. Uma banda marcial acompanha-os, e quem queira pode unir-se a elas, tanto de maneira formal, com a vestimenta, como de maneira informal, ao final da caminhada.

                             Nazarenos da Cofradía de LA SENTENCIA, Málaga.
  
                          VÍRGEN DE ROCÍO (Cofradía homônima), la novia de Málaga.
 
Quando a imagem da Virgem passa, é comum as pessoas que estão assistindo gritarem "guapa, guapa" (bonita) e jogarem flores sobre seu manto. Mas o que realmente arrepia a alma é quando, em algum momento da procissão, principalmente quando já é noite, e há um grande silêncio, alguém começa a cantar para Cristo ou para a Virgem uma saeta - canto religioso antigo, de origem árabe que foi aflamencado, no qual se utiliza somente a voz.

 
                                 Saeta al Cristo de los Gitanos, em Granada


Transmitir a dimensão deste acontecimento é bastante difícil, e ainda mais se pensamos no Brasil, por exemplo, onde a Páscoa virou basicamente a festa do chocolate - e do chocolate de ouro, vide os exorbitantes preços. Falando em comida, aqui as rebanadas são os doces típicos da Semana Santa, feitos quase sempre somente nesta época, e se chamam torrijas. São vendidos ovos de chocolate, mas em uma proporção muito pequena. 


                                EL CAUTIVO, a imagem sacra mais querida de Málaga.

Viver a Semana Santa na Andaluzia é realmente uma experiência marcante. E só mesmo o cante flamenco poderia expressar a profundidade da dor de Cristo e da sua mãe. Na verdade, viver na Andaluzia sempre é uma experiência marcante. Sol, luz, calor, emoções à flor da pele, gente que fala alto e é muito passional. A representação da paixão de Cristo é um reflexo destas características. É um momento de muito fervor religioso, mas também é um acontecimento cultural e artístico. Ateus ou crentes, a poucos deixa indiferentes. Introspecção, reflexão e renascimento. Da própria Vida.

                                           Hermandad ZAMARILLA, Málaga

Todas as fotos foram retiradas do site www.diariosur.es, o jornal de Málaga. Deixo aqui os links com as galerias de fotos de todos os dias da Semana Santa de 2013, pois são muitas e vale à pena conferir.